2017.05.03 | Epistemologia |

Ceticismo sobre o mundo exterior

Não sabemos que temos duas mãos. Aqui está a prova, em que M é a proposição ‘eu tenho duas mãos’, HC é a proposição descrita por alguma hipótese céptica (como a de que somos enganados por um génio maligno, ou de que somos um cérebro numa cuba, etc), e Ksϕ é a abreviatura de ‘eu sei que ϕ’:

  1. [KsM ∧ Ks(M→¬HC)] → Ks¬HC
  2. Ks(M→¬HC)
  3. ¬Ks¬HC
  4. ∴ ¬[KsM ∧ Ks(M→¬HC)] (de 1 e 3, por modus tollens)
  5. ∴ ¬KsM (de 2 e 4, por silogismo conjuntivo) QED

Se não queremos aceitar a conclusão ¬KsM, que premissa devemos negar e com que fundamento?

Novidades: We are happy to announce that, to celebrate the 25th anniversary of the journal Disputatio, Prof. Timothy Williamson (Oxford) will give a lecture on “Degrees of Freedom: Is Good Philosophy Bad Science?” on October 7th, at 16h00 Lisbon time (UTC/GMT+1h). https://t.co/2U7oCeleBi |